Diário do Alentejo

Só a eleição para a CCDR Alentejo será disputada

30 de setembro 2020 - 16:40

A eleição para a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo será a única do País a ter a presidência disputada por dois candidatos: António Ceia da Silva e Roberto Grilo. Entretanto, já foi divulgado o nome da vice-presidente que o Governo irá nomear para aquela estrutura: trata-se de Carmen Carvalheira que neste momento é a detentora do cargo. Para o outro lugar de vice concorre o socialista Aníbal Reis Costa, ex-presidente da Câmara Municipal de Ferreira do Alentejo.

 

Texto Aníbal Fernandes

 

O colégio eleitoral de 1263 autarcas, presidentes das câmaras e das assembleias municipais, vereadores e membros das assembleias municipais incluindo os presidentes das juntas de freguesia, irá a 13 de outubro eleger o próximo presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (Ccdra). Roberto Grilo, o atual presidente da instituição e, agora, candidato a o cargo, decidiu, após longa ponderação, avançar. Para isso apresentou 300 assinaturas, mais 50 por cento do que o necessário, de autarcas “de todos os partidos e forças independentes”.

 

Entretanto, António Ceia da Silva, que foi o primeiro a avançar com a candidatura, publicou o seu manifesto eleitoral. Nela, apesar de ser o candidato apoiado pelas federações socialistas alentejanas, reafirma o “caráter independente” da sua candidatura e traça as principais linhas de orientação e prioridades que, caso eleito, pretende implementar. No documento defende uma Ccdra “mais forte e liderante” que faça “convergir no momento adequado os parceiros certos, não só para a implementação dos projetos estruturais”, mas também para fomentar a “coesão social de que a região necessita”.

 

O candidato dá um especial enfoque aos pequenos e micro empresários e aos jovens empreendedores, dizendo que “a atração de investimento externo é importante, mas o apoio aos negócios de base local não o é menos”.

 

Ceia da Silva, que se considera um “fazedor”, afirma que “não basta preparar as estratégias, é preciso concretizá-las” e, para isso, quer colaborar com as associações empresariais dos vários setores, nomeadamente, através da organização anual dos Roteiros da Descoberta Empresarial do Alentejo, uma iniciativa que deve funcionar como catalisador para “as dinâmicas da estratégia regional de especialização inteligente”.

 

O atual presidente da Entidade Regional de Turismo Alentejo/Ribatejo defende “uma profunda mudança para a instituição”, o que passa pela “revalorização do Conselho de Coordenação Intersetorial” que deverá passar a reunir quatro vezes por ano.

 

Para além disso, Ceia da Silva pretende uma ligação mais estreita com os municípios e as comunidades intermunicipais, criando o Pacto dos Autarcas Alentejanos, uma “plataforma informal para troca de experiências nas áreas da economia verde, reabilitação e regeneração urbana, cultura e programação artística, ‘smart cities’, mobilidade e gestão costeira”.

Outro pilar do manifesto é a ligação à Universidade de Évora e aos politécnicos de Beja e Portalegre “bem como aos seus centros de investigação e laboratórios”. Por último, a prioridade da afirmação do Alentejo e da sua economia no plano internacional, nomeadamente através de “ações de promoção integrada, ligando os setores bandeira da região (vinho, azeite, minério, turismo, agricultura) numa verdadeira estratégia de ‘marketing’ territorial”.

 

COLÉGIO ELEITORAL COM 1263 VOTOS

Segundo o caderno eleitoral para a eleição do presidente da Ccdra, o novo presidente vai ser eleito por 1263 autarcas, a maioria dos quais (993) membros de assembleias municipais, entre deputados e presidentes de juntas de freguesia. De entre o total de votantes, 270 são os presidentes de câmara e vereadores dos 47 municípios do Alentejo. A maioria pertence ao PS, que detém a liderança de 25 municípios, seguindo-se o PCP (14) e o PSD (quatro). Há ainda outros quatro municípios governados por movimentos independentes. Um dos dois novos vice-presidentes da instituição será eleito pelos 47 presidentes de câmara que compõem as comunidades intermunicipais do Norte Alentejo, Alentejo Central, Baixo Alentejo e Alentejo Litoral. O outro vice-presidente continua a ser nomeado pelo Governo e, segundo o “Público”, será a atual detentora do cargo, Carmen Carvalheira. A eleição do presidente e de um vice-presidente para cada uma das cinco CCDR do País decorre entre as 16:00 e as 20:00 horas de 13 de outubro. Os mandatos serão de quatro anos e a respetiva eleição decorrerá nos 90 dias seguintes às eleições para os órgãos das autarquias locais. No entanto, excecionalmente, este ano decorrerão em outubro e o mandato será de cinco anos, para que os novos eleitos possam acompanhar as negociações dos fundos estruturais que estão a decorrer com Bruxelas.

Comentários