Diário do Alentejo

Alexandre e Luís Camacho, atletas do Judo Clube de Beja, triunfaram na vizinha Espanha

30 de novembro 2023 - 15:10
Uma dupla de sucesso
Foto | Firmino PaixãoFoto | Firmino Paixão

Os irmãos Camacho, Alexan-dre, de 14 anos, e Luís, de 19, ambos atletas do Judo Clube de Beja, triunfaram no IX Torneio Ibérico de Kata – Copa de España, recentemente disputado na cidade vizinha de Cáceres.

 

Texto | Firmino Paixão

 

 

Os judocas bejenses competiram em nage no kata, um conjunto de técnicas da especialidade de katas (formas), destacando-se Alexandre Camacho, que ostenta o cinturão castanho, em uke-tori, e Luís Camacho, já graduado com cinturão negro 2.º dan, em tori.

“Senti-me muito feliz, sobretudo, porque estive ao lado do meu irmão Alexandre na primeira competição em que participámos juntos, mas espero que venham outras oportunidades”, confessou Luís Camacho, praticante de judo desde os seis anos, que já tem no seu palmarés outros combates de sucesso. O judoca que agora experienciou a competição em kata compete também no judo comum, mostrando preferência pela exibição das “formas”. “Competir em conjunto com o meu irmão é sempre bastante agradável, pelo que prefiro realmente competir em kata”. Luís declinou avaliar a sua qualidade individual comparativamente com a do irmão.

Já Alexandre foi generoso com o irmão – “Neste momento será o Luís, mas no futuro logo veremos” –, ambos em sintonia no momento de reconhecerem o seu crescimento como atletas e como pessoas enquanto praticantes de uma modalidade, à qual chegaram por influência familiar.

“Mais uma página de sucesso para o Judo Clube de Beja”, reconheceu Francisco Gaitinha, presidente do clube. O dirigente revelou que “são miúdos que entraram para este clube aos seis anos de idade e que já conquistaram alguns títulos e pódios e que estão a competir com muita regularidade”. No caso de Luís Camacho, este também é técnico do clube com graduação superior, como revelou Francisco Gaitinha. “Já tirou o curso de treinador e já me ajuda aqui no dojo a ministrar as aulas aos mais novos, portanto, será um futuro treinador do Judo Clube de Beja. Um como outro são jovens que praticamente ‘nasceram’ neste clube, pois o pai e os tios também são praticantes desta modalidade”.

Olhando para os próximos compromissos do clube, e perspetivando novas conquistas, o líder do Judo Clube de Beja assegurou que “este ano já não existirão campeonatos nacionais”, mas participarão em alguns torneios, nomeadamente, no Seixal e em Pinhal Novo. “Mais adiante teremos uma nova prova no Algarve, são momentos já de preparação para a próxima época, em que voltaremos a competir nas provas nacionais e internacionais, como foi o caso deste Torneio Ibérico de Kata, na vizinha Espanha”. O Judo Clube de Beja tem, aliás, tradição nesta técnica de kata, que se disputa em pares (um faz uke e outro tori). “Sim, temos os nossos atletas Vítor Costa e Veríssimo Segurado, uma dupla que já foi campeã da Europa e de mundo”. Gaitinha sintetizou que “os atletas para atingirem o cinturão negro terão que competir em kata, com exigências diferentes consoante sejam provas para exame de graduação ou provas de competição”.

O número crescente de miúdos a aderir ao judo também deixa Francisco Gaitinha otimista, tendo já recuperado os números de pré-pandemia, situando-se em cerca de meia centena o número de jovens praticantes que semanalmente sobem ao tatami no dojo do Judo Clube de Beja, dirigido por Francisco Gaitinha, também ele árbitro nacional e internacional da modalidade.

 

Comentários
Recomendamos