Diário do Alentejo

Beja recebe Dynamite Fighting Championship

31 de maio 2019 - 12:00

Texto Luís Lopes

 

Acontece amanhã, sábado, 1, no pavilhão da Nossa Senhora do Bairro da Conceição, em Beja, o torneio mundial de K1 (muay thai e kickboxing) “Dynamite Fighting Championship”.

 

O evento reúne sete atletas de nacionalidade portuguesa, um de nacionalidade búlgara, outro de nacionalidade marroquina e um de nacionalidade brasileira, num total de 10 combates. A abertura do evento está marcada para as 20:30 horas. Luís Carrega, lutador bejense de kickboxing, é um dos participantes.

 

Como começou a paixão pela modalidade?
Eu jogava futebol e gostava de desportos de combate. O nosso falecido mestre Eduardo Pândega, que era meu conhecido, convidou-me para ir treinar e a partir daí começou a paixão por esta modalidade.

 

Qual a sua importância da realização do Dynamite Fighting Championship para a cidade?
Além de ser uma dinâmica para Beja, é também para o desporto em si. Temos a associação Muay Thai de Beja, a AMT Beja, onde temos muita gente emblemática a treinar. E é positivo para todos, aqui na nossa terra, saberem que esta modalidade não é só uma modalidade de combate, mas também de preparação física.

 

Sendo o K1 (muay thai e kickboxing) uma modalidade pouca valorizada pelos media em Portugal, qual é a principal dificuldade em atrair potenciais praticantes?
Toda a gente tem vontade de experimentar, poucos têm a coragem porque pensam que isto é só um desporto violento. Aqui há espírito de equipa, espírito de sacrifício, e quem experimenta pela primeira vez, já não sai de lá. Nós treinamos juntos, corrigimo-nos, ajudamo-nos e isso faz este desporto ser especial.

 

Bejense Rúben Baião também participa

Rúben Baião, lutador profissional de muay thai, é outro dos participantes bejenses no Dynamite Fighting Championship. Em declarações ao “Diário do Alentejo”, disse sentir-se “privilegiado” por fazê-lo na sua cidade “e mostrar realmente o que é este desporto de combate”, porque “muitas pessoas têm uma ideia muito negativa, mas este é um desporto tal e qual como os outros, em que existe rigor, dedicação, empenho e sinto-me na minha melhor forma física”.

 

 

Comentários