Diário do Alentejo

Núcleo Sportinguista de Moura empatou, em casa, com o Mourão Futsal Clube

03 de fevereiro 2024 - 08:00
Com o pássaro na mão...Foto| Firmino Paixão

Um empate a cinco bolas foi o desfecho do encontro disputado em Moura, entre o Núcleo Sportinguista de Moura e o Mourão Futsal Clube, relativo à décima terceira jornada da Liga Interdistrital de Futsal.

 

Texto e Fotos Firmino Paixão

 

Um grande jogo entre duas grandes equipas. Uma incansável moldura humana, que tornou o espetáculo ainda mais entusiasmante. Ao intervalo, a equipa da casa vencia por 3-1, resultado que dilatou para 5-1 no início do segundo tempo. Porém, a reação do Mourão mudou o rumo dos acontecimentos e o resultado final foi um empate a cinco golos. “O Mourão é uma grande equipa, muito bem preparada para todos os momentos do jogo e chegou aqui como líder do campeonato. Estávamos a fazer um grande jogo e, de repente, as coisas mudaram. Temos que estar preparados para isto e vamos olhar para as coisas que correram menos bem e prepararmos o próximo jogo”, assumiu o treinador dos mourenses, Nuno Gaspar.

 

O Núcleo jogou muito bem na primeira parte, foi para o intervalo a vencer por 3-1, mas na segunda parte não esteve tão bem…Acho que tivemos 30 minutos de grande qualidade. Sofremos o segundo golo quando faltavam oito minutos para acabar o jogo, e, em dois ou três minutos, quando a equipa adversária optou por criar a superioridade numérica (avanço do guarda-redes), sentimos algumas dificuldades. Sabíamos que isso iria acontecer e até nos preparámos para isso, mas foi um momento em que, com alguma desorganização e falta de concentração, permitimos que o Mourão crescesse e tivemos grande dificuldade em anular os ataques de cinco para quatro, acabando por consentir o empate. Penso que estivemos bem não apenas na primeira parte, porque na segunda entrámos também muito fortes, fizemos mais dois golos e levámos o resultado para os cinco a um. Mas o futsal tem estas particularidades, um jogo nunca se pode dar por vencido, ou por perdido, antes do apito final.

 

Mas esta era a mesma equipa a quem o Núcleo ganhou em Mourão por expressivos 4-1?Sim, era a mesma equipa a quem ganhámos em Mourão. Tinham perdido dois jogos neste campeonato, esse que jogaram connosco e outro em Cuba, de resto, venceram os jogos todos, nomeadamente, ao Juventude de Évora, então líder do campeonato. Quem assistiu ao jogo perceberá que o Mourão é uma grande equipa, tal como nós também somos uma grande equipa, portanto, estas duas grandes equipas deram aqui hoje um espetáculo que dignifica a modalidade, quer a que se pratica no distrito de Beja, quer no distrito de Évora, porque estamos realmente numa prova interdistrital.

 

Que balanço faz do campeonato até ao momento? Tem cinco vitórias, dois empates, quatro derrotas. Era isto que esperava?Não! Não era isto que eu esperava. O nosso grande objetivo passa por terminar esta fase no quarto lugar, para termos acesso ao play-off. Entrámos nesta jornada ainda em quarto lugar, com menos um jogo do que as equipas que nos precedem. Tivemos um início de campeonato defrontando os dois líderes, Juventude e Mourão, vencemos o Estremoz, que também está a lutar para entrar na fase final, perdemos em Évora, empatámos com o Mourão, ou seja, teremos que fazer os pontos que nos faltam, sabendo que temos alguma margem, desde que joguemos os próximos jogos como jogámos hoje os primeiros 30 minutos. Se assim for, dificilmente alguma equipa nos vai ganhar no resto deste campeonato.

 

Está tudo ainda em aberto. Acredita na possibilidade de terminar dentro do primeiro quarteto?Não está nada decidido. O nosso principal objetivo é realmente chegar ao play-off, tal como aconteceu na época passada. São três jogos a eliminar, jogos que queremos vencer, tal como desejam também as restantes equipas, mas o campeonato neste ano está muito competitivo, com equipas muito fortes e já se viu que todas são capazes de pontuar em qualquer campo. Os líderes já perderam pontos, os últimos classificados já ganharam aos primeiros, tem acontecido muita coisa que não sucedeu no ano passado, em que o campeonato estava menos competitivo. Neste ano não, está muito mais forte, as equipas estão mais equilibradas e joga-se muito melhor futsal. Já conseguimos ver bons espetáculos de futsal nos nossos pavilhões, jogos com muita qualidade. Acho que este é o caminho, é pena não existirem mais equipas em Beja a praticar a modalidade, porque em Évora estão a crescer.

 

Os próximos compromissos não são fáceis. Uma deslocação a Baronia e a receção ao Núcleo de Portel. Depois virão três jogos com equipas mais do fundo da tabela, em que são francamente favoritos…Nós somos favoritos em todos os jogos. Apesar de termos entrado neste jogo, com o Mourão, com nove pontos de atraso, éramos sempre favoritos e mostrámos que éramos uma equipa capaz de o vencer. Mas este campeonato não tem jogos fáceis. Não vamos pensar que as equipas que estão atrás de nós irão facilitar porque, na primeira volta, perdemos pontos, precisamente, com essas equipas. Empatámos em casa com o Cuba, perdemos com o Internacional e perdemos em Portel, em jogos por diferença mínima e nos últimos momentos. São detalhes que fazem a diferença, mas estamos confiantes, porque conhecemos o nosso valor, acreditamos no nosso trabalho. Temos que fazer o máximo para dignificar o futsal na cidade e no concelho de Moura e no distrito de Beja. Certamente que o Núcleo Sportinguista de Moura terá essa bandeira até ao final.

 

O plantel tem essa capacidade?Confio plenamente neste plantel. Vivemos de atletas da casa, antigos jogadores de futebol. Iniciámos a formação com os escalões mais baixos, já chegámos aos benjamins. O nosso objetivo é levar esse projeto até aos juniores para, depois, continuarmos a dar qualidade aos seniores. Não contratamos jogadores, não fazemos prospeção de mercado, mais de metade do grupo está connosco há imenso tempo, vamos integrando os novos. Tenho imensa confiança neste plantel.

Comentários
Recomendamos