Diário do Alentejo

Nuno Bernardino Vieira, Escola de Verão de Medicina Interna

09 de setembro 2019 - 09:30

Texto Carlos Lopes Pereira

 

Vai decorrer, de 12 a 14 de setembro, numa unidade hoteleira em Albernoa, no concelho de Beja, a 10.ª edição da Escola de Verão de Medicina Interna, organizada pela Sociedade Portuguesa de Medicina Interna. O que se pretende com esta iniciativa?
A Escola de Verão de Medicina Interna (Evermi) assume-se já como um dos marcos importantes na formação dos jovens especialistas de Medicina Interna. Foi criada em 2011 pela Sociedade Portuguesa de Medicina Interna tendo como pano de fundo os seguintes objetivos de implementação: a atualização científica dos participantes em áreas diversas no âmbito da Medicina Interna; o desenvolvimento do raciocínio clínico do Internista; o promover o “Espírito de Grupo” na Medicina Interna Portuguesa; o desenvolvimento de competências em técnicas de comunicação e em trabalho em equipa entre os formandos; e a reflexão sobre a formação nesta especialidade. Estes têm sido os alvos gerais para os quais temos trabalhado em todas as edições anteriores e com assinalável sucesso, tendo em conta o feed-back que nos é dado pelos participantes da escola e por outros colegas.

 

Esta 10.ª edição, em particular, que decorrerá em setembro no Alentejo, que objetivos específicos persegue?
Esta será uma edição comemorativa, já que assinalamos a chegada à dezena de edições e o facto de já terem passado por esta escola cerca de 400 alunos. Desta forma, vamos reproduzir nesta edição comemorativa as apresentações que foram melhor cotadas pelos participantes das anteriores edições. Na generalidade, os objetivos a atingir estarão na linha dos que foram atrás referidos, embora com um principal destaque para temas relativos à formação geral dos internos de Medicina Interna. Esperemos que seja também mais uma vez um espaço de promoção de contactos e de troca de experiências profissionais entre todos os alunos, algo que os participantes também valorizam bastante. 

 

Entre as cinco dezenas de participantes na 10.ª Evermi, sabe-se, haverá médicos espanhóis: quais as razões e que frutos resultam desta cooperação entre médicos portugueses e espanhóis?
Esta é uma cooperação que felizmente já vem desde a primeira edição e que tem-se demonstrado claramente como uma mais-valia. A Sociedade Espanhola de Medicina Interna também organiza anualmente uma Escola de Verão, na qual participam convidados portugueses, passando-se então o mesmo com a nossa. Assim, este ano teremos seis alunos espanhóis que enriquecerão certamente o grupo e que trarão outras experiências e outras vivências para partilhar com todos os participantes da Evermi.

 

Comentários