Diário do Alentejo

“Ferrobico” é um clube de gente com memória

11 de junho 2019 - 11:46

 O Clube Recreativo e Desportivo de Cabeça Gorda organizou o 1.º Torneio de Futebol Infantil José António Castilho, uma homenagem à memória de um antigo atleta, dirigente e entusiasta daquele emblema.

 

Texto e foto Firmino Paixão

 

José António Castilho tinha uma incomensurável paixão pelo seu “Ferrobico”, emblema que representou enquanto jogador e dirigente, mas do qual nunca conseguiu distanciar-se, tal a paixão pela sua terra, pelo seu clube e pelo fenómeno desportivo.


Faleceu no dia 7 de maio de 2012, já lá vão sete anos. A sua ligação ao desporto fez dele um comentador muito lúcido e objectivo, primeiro aos microfones da Rádio Pax, para o programa “Desportivamente”, depois nas páginas do semanário “O Ás” e, mais adiante, no “Topo Sul” e na Rádio Castrense, emissora que já o recordou através de um torneio anual de futebol que organizava em Castro Verde.


Agora foi a vez do seu clube de sempre, o “Ferrobico”, criar um torneio de futebol infantil com o seu nome, competição em que participaram o clube anfitrião, o Futebol Clube Castrense e o Clube Desportivo de Beja.


Sérgio Jacinto, presidente do Cabeça Gorda, disse ao “Diário do Alentejo”: “Felizmente existiram muitas pessoas que fizeram muito por este clube que tem uma história enorme no nosso distrito. Muitos jogadores, antigos e actuais, têm uma paixão enorme por este clube, são valores que, desde sempre, se começaram a transmitir pelas pessoas que por aqui passaram e o José António Castilho foi uma das pessoas mais marcantes que passou por este clube, como foi José Carlos Dias e outros que não vou referir, não vá esquecer alguém”.


O dirigente adiantou ainda: “Decidimos fazer estes torneios, pequenos mas com muito simbolismo, pela homenagem que prestamos a uma pessoa que, no passado, vestiu a camisola e dignificou sempre este clube e que, curiosamente, tem hoje o neto a jogar numa das nossas equipas de formação”.


Sérgio Jacinto referir também: “Muitas vezes diz-se que as pessoas devem ser homenageadas em vida, mas a verdade é que ele desapareceu abruptamente, cedo demais, e achámos agora que seria justo evocar a sua memória. Tivemos aqui a presença dos filhos, acho que ficaram sentidos com este momento em que juntámos aqui algumas dezenas de crianças, um pequeno gesto em que lembrámos essa figura que muito bem representou o ‘Ferrobico’, como atleta e dirigente”.


Atualmente o clube tem apenas duas equipas de formação, mas está vivo, tem dinâmica e boas infra-estruturas, que os dirigentes pretendem potenciar na formação de jovens que garantam a continuidade do “Ferrobico” e que, no futuro, possam alimentar uma equipa sénior formada, maioritariamente, por jogadores da terra.


“O objetivo é esse, realçar a mística deste clube e proporcionar actividade desportiva aos nossos jovens. Teremos eleições em breve, haverá uma nova direcção, mas julgamos que o caminho é este”, assegurou. Sérgio Jacinto ainda não decidiu a sua continuidade como líder do clube.

 

Comentários