Diário do Alentejo

Serpa celebra 5 anos de classificação do Cante pela Unesco

21 de novembro 2019 - 15:05

Atuações de grupos corais, conversas e uma exposição vão marcar o Cante Fest deste ano, que começa na sexta-feira para celebrar em Lisboa e Serpa o 5.º aniversário da classificação do cante alentejano como Património da Humanidade. As iniciativas do 5.º Cante Fest vão decorrer numa livraria e na Casa do Alentejo em Lisboa, na sexta-feira, e no concelho de Serpa, entre sábado e quarta-feira.

 

A novidade deste ano é o alargamento do Cante Fest a seis localidades rurais do concelho, nomeadamente A-do-Pinto, Pias, Vale de Vargo, Vales Mortos, Vila Nova de São Bento e Vila Verde de Ficalho, por onde vai passar a Rota do Cante, explica a promotora, a Câmara de Serpa.

 

O Cante Fest vai começar na sexta-feira, em Lisboa, às 17:00, na Livraria Ferin, com a apresentação do Cancioneiro de Serpa e a atuação do Rancho Coral e Etnográfico de Vila Nova de São Bento, que voltará a atuar na Casa do Alentejo, a partir das 21:00, no âmbito do Festival Super Bock em Stock. Já no concelho de Serpa, a Rota do Cante vai ter duas rondas, uma no sábado, das 10:00 às 20:00, e outra no domingo, das 14:00 às 20:00.

 

Na ronda de sábado, 11 grupos corais do concelho vão percorrer a cantar vários locais de A-do-Pinto, Pias, Vale de Vargo, Vales Mortos, Vila Nova de São Bento e Vila Verde de Ficalho. Na ronda de domingo, 14 grupos corais vão percorrer a cantar diversos locais e estabelecimentos comerciais do centro histórico da cidade de Serpa. No sábado, às 17:00, na Casa do Cante, em Serpa, vai ser inaugurada a exposição coletiva "Descante", numa cerimónia que incluirá a atuação do Grupo Coral Os Ganhões de Castro Verde.

 

A exposição é "uma homenagem ao cante alentejano" da Associação Fora da Gaveta para celebrar o 5.º aniversário da classificação e é composta por trabalhos de artistas portugueses e estrangeiros de várias áreas, como 'cartoon', gravura, escrita, ilustração, pintura, cerâmica, serigrafia, fotografia, escultura, vídeo, som e música.

 

A Casa do Cante também vai ser palco da apresentação do projeto do Museu e Centro Interpretativo do Cante e do colóquio "Cante, entre a tradição e o turismo", na segunda-feira, e da apresentação do relatório do plano de salvaguarda do cante para a UNESCO e de um debate sobre o que mudou em cinco anos de classificação do cante alentejano como Património da Humanidade, na terça-feira, sempre a partir das 18:00.

 

O Cante Fest vai terminar na quarta-feira com a cerimónia de comemoração do 5.º aniversário da classificação, a partir das 18:00, no Cineteatro Municipal de Serpa, que incluirá entrega de medalhas aos grupos corais signatários da candidatura do cante alentejano a Património da Humanidade e um concerto com os grupos corais do concelho e o pianista Ariel Rodriguez.

 

O cante alentejano, canto coletivo sem instrumentos, foi classificado, a 27 de novembro de 2014, como Património Cultural Imaterial da Humanidade, pela Unesco, graças a uma candidatura apresentada pela Câmara de Serpa e pela Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo.

Comentários