Diário do Alentejo

Casa Relvas aposta na Vidigueira para diversificar vinhos

10 de setembro 2019 - 16:00

Texto Manuel Baiôa


A Casa Relvas, anteriormente conhecida por Casa Agrícola Alexandre Relvas, iniciou a atividade em 1997, dois anos depois de Alexandre Relvas ter adquirido a Herdade de São Miguel, no concelho de Redondo, maioritariamente de solos argilo-xistosos. Em 2001 iniciou-se o projeto vitivinícola com a plantação dos primeiros 10ha de vinha, a que se juntaria mais 25 ha nos anos subsequentes. Em 2003 foi construída a adega e no ano seguinte foi lançado o primeiro vinho tinto da casa, Herdade de São Miguel Colheita Selecionada 2003.

 

Esta casa agrícola familiar foi crescendo nos anos seguintes e em 2006, o filho com o mesmo nome, Alexandre Relvas Jr., ingressou na empresa após ter concluído a sua formação em viticultura, em Bordéus. Em 2011 adquiriram a Herdade da Pimenta, com solos graníticos e argiloarenosos, na qual plantaram 65ha de vinha. Esta herdade situada nas proximidades de São Miguel de Machede, concelho de Évora, tornou-se no principal centro de vinificação e sede da empresa.

 

Em 2016 foi a vez do filho António Relvas se juntar à equipa para desenvolver um projeto de olival e alargar a área de vinha, uma vez que o crescimento sustentado da empresa e o alargamento do portefólio exigia um novo investimento. Para tal, foi adquirida em 2017 a Herdade dos Pisões situada em Alcaria da Serra, concelho de Vidigueira. A crescente procura de vinho branco e a qualidade e a fama deste terroir, levaram a Casa Relvas a escolher a Vidigueira para expandir o seu negócio. A Herdade dos Pisões tem solos argilo-calcários e argilo-xistosos e já possuía 89ha de vinha em produção, à qual acrescentaram 60ha de vinha e 250ha de olival. Mas os investimentos não têm parado e neste momento está a ser concretizado um alargamento da Adega da Casa Relvas situada na Herdade da Pimenta.

 

A Casa Relvas fez uma forte aposta no enoturismo, com um programa diversificado de provas e visitas à adega e vinhas, que tem crescido consistentemente. Para os que desejem participar por dentro no processo das vindimas estará disponível um programa entre 20 de Agosto e 20 de Setembro, no qual os participantes poderão colher as uvas, identificar as castas, participar na pisa a pé, provar os mostos e fazer a remontagem dos vinhos. Por fim, para recuperar energias, poderão almoçar e provar os vinhos da Casa Relvas.

 

O vinho que hoje apresentamos, Herdade São Miguel Colheita Selecionada 2018 Branco, foi elaborado a partir da castas Antão Vaz, Verdelho e Viognier. Metade do vinho estagiou 4 meses em barricas de carvalho francês. O solo que deu origem a este vinho é maioritariamente constituído por argilas e xistos, num ecossistema rodeado de sobreiros. O ano agrícola foi bastante singular, pois o inverno foi muito seco e pouco frio, seguido de uma primavera amena e muito chuvosa. No verão, as temperaturas foram mais baixas que a média dos últimos anos, e a maturação acabou por acontecer mais tarde que o habitual.

 

Fruto destas condições, o vinho surge com uma grande intensidade aromática, sobressaindo algum fruto tropical contido. Na boca é persistente, fresco, seco e mineral, com um final longo. É um vinho versátil que se adapta a todas as refeições típicas do Verão. PVP: 5,5 euros.

Comentários