Diário do Alentejo

Castro Verde: iniciada recuperação da Basílica

03 de setembro 2019 - 11:25

A primeira fase das obras de requalificação da Basílica Real de Castro Verde, no Alentejo, que está num estado de degradação "preocupante", já arrancou, num investimento de 65 mil euros. Segundo a Câmara de Castro Verde, a primeira fase das obras tem um prazo de execução de 60 dias, inclui a limpeza manual do telhado, o arranjo de portas e janelas e a pintura total da basílica. As duas primeiras fases de requalificação da Basílica Real de Castro Verde, no âmbito de uma ação que está a ser coordenada pela autarquia, vão implicar um investimento total de 446.300 euros.


Após concluídas as obras da primeira fase, será possível reabrir a basílica ao culto, diz Luís Miguel Fernandes, pároco de Castro Verde, revelando que chove dentro da basílica e, devido a vários anos de infiltrações de água, há tábuas a despregaram-se no teto, que é forrado a madeira. Já caíram fragmentos do teto e das "muito degradadas" pinturas murais da basílica, relatou, referindo que muitos dos azulejos do ciclo azulejar do edifício, datado do século XVIII e que retrata a Batalha de Ourique, estão desagregados da parede e em risco de colapso e, por isso, foi necessário recorrer a fita-cola para os fixar e evitar que caiam e se partam.

 

A basílica, que foi fundada no século XIII e reconstruída no século XVIII, é a homenagem de D. João V a Castro Verde, onde se travou a batalha de Ourique, decisiva para afirmar Portugal como reino independente.

 

Comentários