Diário do Alentejo

Património: Convento da Cartuxa com visitas abertas

15 de agosto 2020 - 07:55
FOTO: DR|ARQUIVO

O Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli, em Évora, conhecido como Convento da Cartuxa, vai juntar às visitas guiadas, que já têm mais datas programadas, também visitas abertas sem marcação prévia, a partir deste sábado.

 

A Fundação Eugénio de Almeida (FEA), responsável pelo espaço, revelou que estas visitas abertas gratuitas, que não requerem marcação prévia, decorrem até final de setembro, sempre aos sábados e domingos. Esta iniciativa, que vai ter sempre lugar entre as 10:00 e as 18:00, pretende “responder ao interesse manifestado pela comunidade e acolher todos aqueles que procuram conhecer a Cartuxa de Évora”, justificou a FEA.

 

A par deste novo modelo para que os visitantes possam ficar a conhecer o Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli (Escada do Céu), prossegue o programa de visitas guiadas, que arrancou no dia 25 de julho e já teve mais uma sessão, a 08 de agosto, ambas esgotadas.

 

Este ciclo, com entradas às 08:00 ou 19:00 e guiado pelo arquiteto e investigador Luís Ferro, que privou durante dez anos com os monges da Ordem da Cartuxa residentes neste eremitério, devia ter cinco visitas, mas o total foi ampliado para 14. As próximas são este sábado e domingo - já esgotadas -, nos dias 23, 29 e 30 deste mês (08:00), e, em setembro, nos dias 06 (19:00), 12 e 13 (08:00) e 20 (19:00).

 

O programa guiado requer inscrição prévia na página de Internet da Fundação Eugénio de Almeida e é limitado a 20 participantes por visita.

 

A FEA decidiu aumentar o número destas visitas guiadas devido ao “grande interesse do público pelo Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli e a enorme adesão ao programa”. O objetivo da fundação passa por permitir que “mais pessoas conheçam um lugar único, de grande valor histórico e simbólico para a cidade de Évora e para o país, num compromisso de partilha da cultura, do património e de descoberta da espiritualidade cartusiana”.

 

Este programa promovido pela FEA, ao qual se junta agora o ciclo de roteiros abertos, representa a primeira vez que o Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli recebe visitas guiadas, desde a sua reconstrução como eremitério, em 1960.

 

As visitas são orientadas para “a descoberta dos rituais, dos hábitos e dos exercícios espirituais que pontuaram o quotidiano da vida dos monges” que habitaram o mosteiro.

 

A FEA é responsável pelo Convento da Cartuxa não apenas enquanto “património histórico, artístico e arquitetónico de grande valor", mas também enquanto este foi o único mosteiro contemplativo masculino de Portugal, até outubro do ano passado, quando foi aberta a clausura dos últimos quatro monges da ordem cartusiana, que se despediram da comunidade e viajaram para Espanha. O mosteiro aguarda agora a vinda das irmãs do Instituto das Servidoras do Senhor e da Virgem de Matará.

 

Com construção iniciada em 1587, o Mosteiro de Santa Maria Scala Coeli foi o primeiro eremitério da Ordem da Cartuxa a ser construído em Portugal, tendo tido diferentes utilizações, ao longo do tempo. Acabou por recuperar a sua função religiosa em 1960, graças a Vasco Maria Eugénio de Almeida, Conde de Vill’Alva.

Comentários