Diário do Alentejo

Projeto de teatro comunitário para mulheres chega a Sines

10 de janeiro 2020 - 12:00
DRDR

O projeto “Mulheres nascidas de um nome”, a partir do livro homónimo de Cláudio Hochman, chega a Sines no próximo dia 18, sob a forma de um espetáculo com três apresentações. O espetáculo será o ponto de partida para um projeto de teatro comunitário.


As apresentações terão lugar no Espaço Sénior de Porto Covo (15:30 horas), na sede da Associação Caboverdiana de Sines (17:30 horas) e no auditório do Centro de Artes de Sines (21:30 horas).


Segundo a Câmara de Sines, com este espetáculo “o público de Sines poderá ter o primeiro contacto com um projeto de teatro comunitário que nasceu em Lisboa e chegou a reunir 159 mulheres”.


O elenco que estará em Sines integra a atriz Joana Pereira da Silva, que cresceu em Vila Nova de Santo André, assim como Ana Isabel Pereira, Sara Madeira, Ana Marta Kaufmann, Sílvia Balancho e Joana Raio.


Cláudio Hochman escreveu estes textos “sem qualquer intenção teatral”. Textos “frenéticos que, nascidos a partir de um nome de mulher, falam de muitas mulheres”. O autor convidou 20 atrizes “para experimentar uma forma de dizer os textos. O grupo foi crescendo, chegando a reunir 159 mulheres. Muitas eram atrizes profissionais, outras emergentes e outras, ainda, alunas de cursos de teatro. Criou-se então um espetáculo, apresentado no Teatro de Carnide, em Lisboa. A cada noite mudava o elenco e mudavam os textos. Entre os pequenos monólogos surgiam canções com nomes de mulheres e corpos em movimento, no feminino”, adianta a câmara.


As apresentações do próximo dia 18 serão, segundo a autarquia, o ponto de partida para um projeto de teatro comunitário que pretende envolver o maior número possível de mulheres de Sines, maiores de 16 anos, com ou sem experiência teatral.


Neste projeto local serão trabalhados textos do livro de Cláudio Hochman, mas também se propõe reescrever histórias de mulheres que fizeram parte da história de Sines e desafiar as sinienses a contar as suas próprias histórias. O projeto será trabalhado por comunidades/grupos, que depois se juntarão num espetáculo final.


Também estão convidadas a participar “todas as mulheres que possam trazer o seu contributo musical, de dança ou de qualquer outra manifestação artística que se integre no projeto”.


O projeto terá início em março, com uma primeira fase de sessões dedicadas à apresentação e seleção de histórias/textos. Segue-se uma segunda fase de apropriação/aprendizagem dos textos e da forma de os dizer. A fase da partilha com o público chegará a 23 de maio, na Semana da Educação Artística.


As interessadas deverão contactar o Serviço Educativo e Cultural do Centro de Artes de Sines.

Comentários