Diário do Alentejo

Festival das Marias mostra arte no feminino

16 de novembro 2019 - 09:00
DR

Um concerto de Adriana Calcanhoto no Teatro Municipal Pax Julia, em Beja, dá início na próxima quarta-feira, dia 20, às 21:30 horas, ao 1.º Festival das Marias – Festival Internacional de Artes no Feminino, numa coprodução da Cadac – Cia Alentejana de Dança Contemporânea e da Companhia de Teatro Lendias d’Encantar. O evento acolhe produções portuguesas, do Brasil, Chile, Uruguai e Espanha.

 


Nesta primeira edição o Festival das Marias irá ter lugar em Beja, Campo Maior, Cuba, Grândola, Mértola e Santiago do Cacém, “resultado das parcerias estabelecidas com os municípios que acolhem a iniciativa”.

 


António Revez, diretor artístico do festival, explica que o objetivo é oferecer ao público uma “perspetiva da arte no feminino, ou seja, na criação e exploração feminina nas mais diversificadas áreas da criação artística”. E adianta que o evento surge “como resposta à necessidade de potenciar a dimensão distintiva da criação feminina, frequentemente ofuscada pelo preconceito de género, alicerçado numa tradição de hierarquização patriarcal e num machismo generalizado”.

 


Nesse sentido, o festival apresenta também uma programação paralela com “momentos alternativos de empoderamento feminino”, que decorrerão em diversos espaços da cidade, com entrada livre. Segundo Leopoldina Almeida, diretora-geral do festival, estão previstas atividades como “círculos de mulheres e ways of council, conversas sobre igualdade de género, gravidez, parto e maternidade, erotismo e sedução, yoga terapêutico, contos e estórias no feminino” e haverá ainda espaço para o “visionamento de documentários sobre os diversos papéis da mulher na sociedade e poesia no feminino”.

 


Leopoldina Almeida refere também que “houve um cuidado na escolha do horário para estas atividades”, que decorrem maioritariamente das 18:00 às 20:00 horas: “As mães, mulheres, trabalhadoras, têm aqui uma janela de oportunidade para participar em atividades que, habitualmente, lhes são vedadas, tendo em conta os ‘afazeres’ domésticos e familiares”. Haverá ainda oferta de convites para os espetáculos noturnos, direcionados a famílias mais carenciadas.

 


O programa para Beja inclui, ainda, o espetáculo de dança “Nome”, pela companhia Vagar (dia 21, Pax Julia), um concerto com Francesca Ancarola (dia 22, Casa da Cultura), a peça “Parir – volver al vientre”, por Actos Intimos (dia 23, Casa da Cultura), Música de Fiambrería, com Lucia Trentini e Diego Arbelo (dia 26, Pax Julia), “Lacura”, peça pela Cia Impulso (dia 27, Pax Julia), fado com Daniela Helena (dia 28, Pax Julia) e espetáculos com Marina de La Riva (dia 29, Pax Julia) e Beatriz Nunes (dia 30, Pax Julia).

 


Nos dias 23 e 24, no túnel do Centro Unesco, terá lugar ainda o Mercado das Marias, para “que as mulheres empreendedoras tenham também oportunidade de mostrar e de vender os seus produtos, que em alguns casos são um complemento financeiro familiar significativo”.

 


A programação das extensões reserva, para Cuba, no centro cultural, a peça “Parir – volver al vientre” (dia 22) e “Muros”, pela Cadac (dia 27), e para Mértola, no cineteatro Marques Duque, um concerto com Francesca Ancarola (dia 22). O espetáculo de dança “Muros” voltará a subir ao palco no dia 28, no Cine-Granadeiro de Grândola. Para Santiago do Cacém, no Auditório Municipal António Chainho, estão agendadas a peça de teatro “Lacura” e um espetáculo com Marian de la Riva.

Comentários