Diário do Alentejo

Serpa acolhe festa do livro até domingo

16 de maio 2019 - 16:00
Contos, oficinas, exposições e música são algumas das propostas

A terceira edição da Festa do Livro de Serpa (FLIS) arranca hoje, sexta-feira, e prolonga-se até domingo, 19. Organizado pela Câmara Municipal de Serpa, o evento pretende “ser uma festa de três dias cheios de livros e atividades que andam de braço dado com a leitura”.
No jardim da Biblioteca Municipal Abade Correia da Serra, segunda a autarquia, uma feira do livro disponibiliza um conjunto variado de publicações, “entre novidades e livros a preços reduzidos”. Na sala polivalente e no átrio da biblioteca, estará patente ao público, até ao dia 15, uma exposição que reúne ilustrações de Ana Biscaia para “livros pequeninos”.
A par destas atividades permanentes, a 3.ª FLIS apresenta uma programação dirigida a todas as camadas etárias. O dia de abertura, hoje, será “voltado” para a comunidade escolar; o sábado e domingo para as famílias.
Pela FLIS irão passar, nos diferentes espaços da biblioteca e do seu jardim, Enano, “o palhaço que pretende mudar o mundo a rir”; Rodolfo Castro, o “pior contador de histórias do mundo”; a Monda, “três amigas que trazem poesia, contos e canções tradicionais portugueses e, para os bebés, melodias de ‘acalantar’”; Margarida Botelho, uma “arte-educadora”; o Atelier Ser, com uma oficina de serigrafia transportada em bicicleta “para compor um manifesto coletivo”; Cristina Viana, conhecida por “Cristina Faz”, com o seu ateliê ambulante de desenho ao vivo que se chama “Má Cara”; a Of Produções, que vai animar o jardim com bolhas de sabão gigantes; oficinas de artes plásticas orientadas por Romana Vieitas; e, para um público jovem adulto, oficinas e conversas dirigidas pela ilustradora Ana Biscaia, em que, entre outros temas, se falará da Palestina, de migrações, fronteiras e muros.
Amanhã, sábado, 18, Dia Internacional dos Museus, a FLIS sairá da biblioteca e assinalará a data com um espetáculo noturno no castelo, intitulado “O baile dos candeeiros”, produzido pela associação cultural Radar 360º.

Comentários