Diário do Alentejo

Noites na Nora estão de regresso a Serpa

03 de julho 2019 - 09:20
DRDR

Serpa acolhe entre os dias 5 e 20 de julho a 20.ª edição das Noites na Nora (NNN), um evento onde “a cultura é como uma festa”.


Espetáculos de teatro, música, dança e residências artísticas são as propostas da iniciativa, que “aposta numa programação eclética e na criação de momentos únicos”.


A 20.ª edição fica também marcada pela apresentação “do novo e ambicionado “projeto da Baal17 – o Centro Artístico Cultura Viva, “um espaço multidisciplinar de produção, criação e difusão cultural e artística contiguo ao Espaço Nora”.


O edifício, para o qual já existe um projeto de reabilitação, “mostra-se agora aos visitantes no seu aspeto cru e marcado pelo tempo de abandono”.


A abrir a 20.ª edição, no dia 5 de julho, às 21:45 horas, a Baal17 apresentará o documentário vídeo “20 NNN”, um registo para a posteridade que pretende “revisitar os espetáculos, os artistas, públicos, a cultura e a festa que fizerem do NNN pioneiro e referência nos eventos culturais da região”.


Ainda na mesma noite a Oficina de Teatro de Serpa, grupo amador tutorado pela Baal17, estreia “A visita da velha senhora”, de Friedrich Dürrenmatt. Esta é a quinta produção teatral da Oficina de Teatro de Serpa e a sua primeira incursão a um dos grandes clássicos da dramaturgia.


No teatro, destaque, ainda, para a apresentação da companhia galega A Panadaria, no dia 12, às 22:30 horas, com o espetáculo “Elisa e Marcela”, uma reconstrução irreverente de um acontecimento real – o casamento entre duas mulheres em 1902 – que percorreu a Galiza, Portugal e a Argentina; “Iceberg, o último espetáculo”, da Peripécia Teatro, acabado de estrear em Bragança, apresenta no largo dos Condes de Ficalho, no dia 18, às 22:00 horas; “Anónimo”, pelo Teatromosca, e a cujo elenco de jovens se juntam três atores do grupo de teatro da Escola Secundária de Serpa, Encena (dia 11); e, no dia 18, o Projecto Ruínas, com o espetáculo “Felicidade”.


A Este – Estação Teatral do Fundão, com “Há beira na revolta” (dia 10), o Teatro Extremo, com “A lenda das amendoeiras em flor” (dia 14), e a estreia de “AL Blá Blá”, espetáculo de teatro para bebés pelo al teatro (dias 6 e 20) completam a programação teatral da 20.ª NNN.


no âmbito das residências de criação artística, que “assumem um papel preponderante no percurso da Baal17 e do NNN”, a edição deste na acolhe a residência de criação na área do teatro “A morte chama-se Laura”, de Cláudia Guia, João Moura, Pedro Nunes, Sara Cruz e Teresa Moura, projeto vencedor do concurso anual promovido pela Baal17 (dia 14); “In Betwen me and my self”, de Rolando Galhardas (dia 13); e, na área da música, “Sete pecados musicais”, dirigido pela soprano Margarida Marecos (dia 19).


No decorrer do NNN será ainda apresentado o primeiro álbum a solo de Miranda (dia 6). No dia 13, é a vez de receber Fado Bicha, projeto musical e ativista composto por Lila Fadista (voz) e João Caçador (guitarra elétrica e outros instrumentos). De Espanha chegam as The Clams, “uma das poucas bandas femininas de rhythm & soul de Espanha” (dia 20).


O porgrama inclui ainda um espetáculo com o ilusionista Zé Mágico (dia 7) e DJS (todas as sextas e sábados a partir das 00:00 horas).

Comentários