Diário do Alentejo

Isaurindo Oliveira, presidente da Caritas de Beja

25 de novembro 2019 - 16:15

Texto Nélia Pedrosa

 


A campanha “Azeite Solidário, uma gota de esperança” já vai na sua sétima edição. Qual o balanço que fazem desta campanha? Qual o destino para a totalidade de azeite angariado?
O balanço que fazemos desta campanha é extremamente positivo porque responde a uma necessidade básica e de condição de sobrevivência do ser humano que é a sua alimentação. A Caritas Diocesana de Beja confeciona anualmente cerca de 110 000 refeições nas diferentes respostas sociais e para a quais são canalizados os cerca de 1500 litros angariados, nomeadamente, para as respostas sociais de Serviço de Apoio Domiciliário, Comunidade Terapêutica, Comunidade de Inserção, Refeitório e Cantina Social, num total de 187 utentes abrangidos diariamente. A campanha “Azeite Solidário, uma Gota de Esperança” permitiu criar uma relação de proximidade com as entidades locais, nomeadamente, ao nível das empresas e a oportunidade de estabelecer parcerias com produtores locais, procurando o envolvimento de todos, numa união de esforços, em prol do bem comum, fomentando a responsabilidade social perante a causa da alimentação.


Quantas empresas agrícolas colaboram atualmente com a campanha? Como tem sido a recetividade dos empresários? E quais as metas para a campanha que está a decorrer?
Atualmente colaboram nesta campanha a empresa Alfarrobeira, Moragri SA, Cooperativa da Vidigueira, De Prado, Monte Novo e Figueirinha, Sovena e Herdade Maria da Guarda, dos concelhos de Serpa, Beja, Ferreira do Alentejo e Vidigueira, respetivamente. A recetividade por parte dos empresários tem sido bastante positiva. Atualmente foram doados à Caritas Diocesana de Beja cerca de 450 litros, sendo que as doações são feitas ao longo do ano e à medida que a instituição vá necessitando. A Caritas prevê que sejam confecionadas as mesmas refeições.


A Caritas tem registado um aumento de pedidos de apoio alimentar? E que outros projetos do género estão a ser desenvolvidos ou que a Caritas gostaria de ver implementados?
O número de pedidos de apoio alimentar é variável e depende das alturas do ano. Há sempre alguns pedidos em lista de espera, principalmente, no que se refere ao fornecimento de alimentos para serem confecionados em casa e que são distribuídos nos concelhos de Beja, Ferreira do Alentejo, Cuba Alvito e Vidigueira, no âmbito do Programa Operacional de Apoio a Pessoas Carenciadas. Igualmente no Programa de Refeitório Social está em análise a possibilidade de passar o fornecimento de refeições diárias dos atuais 20 para 36. No âmbito da campanha do “Azeite Solidário”, a Caritas Diocesana de Beja tem tentado alargar esta campanha a outros produtos, nomeadamente, batata, arroz e açúcar, mas até ao momento não conseguiu o sucesso que teve com o azeite, talvez porque os potenciais fornecedores são exteriores ao território da Diocese de Beja.

Comentários