Diário do Alentejo

Praga de piolhos encerra SO do Hospital de Beja

10 de setembro 2019 - 15:00

Uma praga de piolho do pombo obrigou ao fecho da sala do Serviço de Observação (SO) do Hospital José Joaquim Fernandes. A praga foi detetada cerca das 19 horas de segunda-feira. O Serviço de Observação (SO) foi encerrado e desparasitado e os doentes foram internados em outros serviços daquela unidade hospitalar, revelou o Jornal de Notícias (JN).


Citado pelo JN, o Gabinete de Relações Públicas da Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA), onde o hospital está integrado, confirmou o encerramento do serviço, face a "uma praga de piolhos de pombos", por um período de 12 horas, "pondo em prática de mediato a desinfestação." O Serviço de Observação do Hospital de Beja tem cinco camas e três macas. É o espaço intermédio entre a alta e o internamento de um doente.

 

Os outros serviços que se situam no rés-do-chão, na ala norte daquela unidade hospitalar, não foram afetados estando a funcionar com normalidade, como é o caso do Serviço de Urgência. O jornal acrescenta que o Hospital José Joaquim Fernandes está situado numa zona de Beja com uma grande concentração de pombos-domésticos. “O edifício denominado de Torre, no Bairro da Força Aérea, que dista cerca de 200 metros daquela unidade hospitalar, está infestado daqueles pássaros”, refere.

Comentários