Diário do Alentejo

CDS: Ministro da Agricultura "presta mau serviço" ao País

14 de junho 2019 - 11:30

O CDS classifica o fim do apoio à plantação de novos olivais superintensivos no perímetro de rega de Alqueiva, anunciado esta semana pelo ministro da Agricultura, como sendo uma "decisão profundamente errada e demagógica, porque sem qualquer suporte técnico ou científico, sem qualquer argumento válido" que a justifique.

 

"Capoulas Santos presta um mau serviço ao país quando diz, por um lado, que devemos tomar decisões fundamentadas no conhecimento técnico e científico, para logo a seguir vir contradizer-se ao anunciar o corte dos apoios ao olival na região de Alqueva", diz ao Diário do Alentejo a deputada centrista Patrícia Fonseca, sublinhando que os consumos de água destes olivais são idênticos, e até inferiores, ao de outras culturas.

 

"Se há maus exemplos por parte de alguns agricultores, que certamente haverá (como há bons e maus profissionais em todas as profissões) têm de ser penalizados. Cabe ao governo a fiscalização".

 

Patrícia Fonseca diz que esta decisão demonstra a "captura" do Governo pelos "partidos que o suportam": "É uma medida para agradar à geringonça porque todo o discurso do ministro é em defesa do olival e com preocupação em desconstruir os argumentos que apresentaram mas depois, sem sustentação nenhuma, anuncia o fim dos apoios ao olival em Alqueva e ainda que não concorda com a continuidade de tão extensas áreas de monocultura" 

 

Segundo a deputada centrista, em causa está uma decisão que "desincentiva o investimento no olival e abre portas para outros ataques a outras culturas".

Comentários