Diário do Alentejo

Jorge Revez: Presidente da direção da ADPM

13 de junho 2019 - 10:00

Texto Nélia Pedrosa

 

Em que contexto surge a criação do Centro de Interpretação do Lince-ibérico e de um observatório em S. João dos Caldeireiros, Mértola? Quais são os objetivos deste projeto?
O projeto “Por Terras do Lince-ibérico”, promovido pela ADPM, tem por objetivo geral implementar uma iniciativa de valorização do património e dos recursos endógenos dos concelhos abrangidos pelo Parque Natural do Vale do Guadiana, que contribua para o reforço da atratividade turística da região com base no seu património natural e cultural, associado a um fator diferenciador de elevado impacto – a presença do lince-ibérico (Lynx pardinus) em habitat natural. O Centro de Interpretação e o Observatório marcam o início da Rota do Lince.

 

Em que fase está a construção do centro, qual o investimento e quando é que deverá estar concluído?
O Centro de Interpretação do Lince-ibérico está a ser neste momento construído e assenta num projeto assinado pelos arquitetos Olavo Dias e Nuno Le Coq. Os custos rondarão os 50 mil euros, sendo financiado a 88 por cento pelo Turismo de Portugal no âmbito do Programa Valorizar.

 

Para além da criação de uma rota alusiva “ao felino mais ameaçado do mundo”, que outras atividades serão desenvolvidos pelo centro e a que públicos se destinam?
As atividades, como uma exposição na Amendoeira da Serra, um conjunto de rotas, um quiosque multimédia em Mértola, entre outras, associadas ao projeto, passam pela valorização e promoção do turismo na região de Mértola e Serpa e estão estruturadas num plano de intervenção que, aproveitando um fator diferenciador local – a presença, única no País, do lince-ibérico em liberdade –, permitirá valorizar a oferta turística existente, dando visibilidade a atividades, percursos turísticos, recursos patrimoniais, gastronómicos e culturais, e que se constituem como fator de atração turística de caráter não sazonal para toda a região. Destinam-se a todos os públicos, desde crianças a idosos.

Comentários